Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para busca 3 Ir para rodapé 4 Acessibilidade 5 Alto contraste 6

---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?

dengue
Treze Tílias no Combate ao Mosquito

Publicado em 30/11/2020 às 08:36 - Atualizado em 30/11/2020 às 08:37

Semana Estadual Para Controle do Aedes Aegypti
Créditos: MS Baixar Imagem

O ano de 2020 foi marcado pelo registro do maior número de casos de dengue em Santa Catarina. Foram confirmados mais de 11.300 casos, em sua maioria autóctones, ou seja, com transmissão dentro do estado. Há 52 municípios catarinenses infestados pelo mosquito, sendo que 11 deles apresentaram transmissão em nível epidêmico. Este é o reflexo do aumento na disseminação do Aedes aegypti.

 

Diante deste cenário e da proximidade com o período sazonal de transmissão da doença, que ocorre nos meses mais quentes do ano, sugerimos uma semana de mobilização, entre os dias 30 de novembro a 05 de dezembro, com o intuito de reforçar a importância das medidas de controle e prevenção. As ações são realizadas levando em consideração a realidade do município de Treze Tílias, que está sem nenhum foco registrado desde março. Porém a maior dificuldade registrada na cidade, são as borracharias, que mantêm pneus em locais descobertos, facilitando à proliferação do vetor, além de ser encontrado facilmente jogados à céu aberto em alguns bairros e residências onde existem armadilhas instaladas, trabalho realizado pelo Agente de Combate as Endêmias (ACE), que faz as inspeções semanais da rede de armadilhas (ARM) e dos pontos estratégicos (PE) quinzenalmente.

 

A dengue, zika e chikungunya são doenças que se não forem tratadas, podem levar o paciente à óbito. O Aedes aegypti se caracteriza pelo tamanho pequeno, cor marrom médio e por nítida faixa curva branca de cada lado do toráx. Nas patas, apresenta listras brancas. O Aedes aegypti tem como criadouros os mais variados recipientes que possam acumular água parada. Os mais comuns são pneus sem uso, latas, garrafas, pratos dos vasos de plantas, caixas d’água descobertas, calhas, piscinas e vasos sanitários sem uso. A fêmea do mosquito pode, também, depositar seus ovos nas paredes internas de bebedouros de animais e em ralos desativados, lajes e em plantas como as bromélias. A melhor forma de evitar é fazer uma prevenção, evitando deixar acumular água e limpando terrenos. Tire 10 minutos por dia e ajude no combate.